IPÊ - da pesquisa científica às ações para conservação.

UEZU, Alexandre

IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade (ESCAS) Rod. D. Pedro I, km 47 Cx. Postal 47, Bairro do Moinho Nazaré Paulista - SP. Website:http://www.ipe.org.br

Email: aleuezu@ipe.org.br

Apoio Financeiro: Instituto Arapyaú

A conservação de uma espécie ameaçada não depende apenas do conhecimento da sua biologia, demografia e estrutura genética. Embora essas informações sejam fundamentais para direcionar ações que visem reduzir o risco de extinção da espécie, para chegar a essas ações é preciso abranger esferas mais amplas do ambiente e da sociedade. Após quase vinte anos de pesquisas com espécies ameaçadas e trabalhos com comunidades locais, o modelo de conservação adotado pelo IPÊ, nos cinco sites de atuação, envolve, além da pesquisa com espécie, a educação ambiental, conservação do habitat, envolvimento comunitário, planejamento de paisagens e políticas públicas. A educação ambiental é fundamental, pois são os valores das crianças e jovens de hoje que levarão às decisões da conservação futura, além disso, elas disseminam entre os adultos, normalmente os pais, o valor intrínseco do meio ambiente. O principal motivo da ameaça às espécies em todo o globo é a perda do habitat e, portanto, medidas de proteção, restauração e recuperação dos habitats naturais se faz necessária na maior parte das ações de conservação. O envolvimento comunitário é a grande chave para efetivar essas ações, pois a maior parte dos remanescentes de habitats nativos está em terras privadas, e mesmo quando estão assegurados em unidades de conservação (UC), o grau de perturbação dessas áreas é influenciado diretamente pelas pessoas do entorno. Há muitas formas de envolver a comunidade, especialmente agregando valores aos produtos gerados por elas, como por exemplo, através da produção em sistemas agroflorestais, que podem gerar certificações; através de sistemas de pagamentos por serviços ambientais e a criação de negócios sustentáveis alternativos para aumento de renda, a partir da manufatura de produtos de origem natural. Numa escala mais ampla é preciso planejar a configuração e composição da paisagem de forma a garantir que os processos ecológicos permeiem esse espaço, integrando ecossistemas nativos com diversos usos do solo. É cada vez mais forte a premissa de que essa é a única forma de garantir a permanência em longo prazo das populações em paisagens fragmentadas. E finalmente, é vital o aprimoramento de políticas públicas que favoreçam a implementação das diversas ações citadas anteriormente, desde leis que regem os direitos e deveres dentro das propriedades privadas e nas UCs e seu entorno, até a regulamentação de prioridades para o uso do solo, baseadas nos valores verdadeiros das sociedade como um todo e não para o benefício de poucos.

Palavras-chaves: biodiversidade, modelo de conservação, sustentabilidade.