Comparação preliminar da ictiofauna de duas áreas do estuário de Cananéia-Iguape-Ilha Comprida

MONTANARI, Cláudia O.¹*; da SILVA, Renata V. ¹; DIMITROV, Victor¹; LAPORTA, José L.²

1Centro Universitário Fundação Santo André, Departamento de Ciências Naturais, Avenida Príncipe de Gales, n. 821, 09060-020, Santo André, SP, Brasil

.²Professor Doutor do Laboratório de Zoologia do Centro Universitário Fundação Santo André

*cmo_bio@hotmail.com

Os estuários são corpos d’ água costeiros semifechados ligados ao oceano aberto. No seu interior a água do mar é diluída pela água doce oriunda da drenagem continental. Esse ambiente tem grande relevância ecológica para a biodiversidade de peixes representando cerca de 99% das espécies nectônicas, funcionando como áreas de proteção para juvenis, refúgio para adultos em reprodução e apresentando alta disponibilidade de alimentos. Com a grande produtividade desse ambiente a pesca passa a ser uma fonte de riqueza para as populações humanas que vivem ao entorno dos estuários. O estuário de Cananéia-Iguape-Ilha Comprida localiza-se no litoral do Estado de São Paulo, abriga grande diversidade de peixes pelas características ambientais heterogênicas da região. O objetivo do presente estudo foi comparar a ictiofauna de duas áreas dentro do sistema estuarino de Cananéia-Iguape-Ilha Comprida. Para o estudo foram utilizados dois pontos amostrais, os pontos denominados Ponta do Arrozal, localizado a 25º01’’S e 47º55’’W e Boca da Barra, localizado a 25º03’’S e 47º54’’W. Para a amostragem foi utilizada a arte de pesca de arrasto. Na análise dos dados foram utilizados o índice de diversidade (d) de Shannon e o índice de uniformidade (e) de Pielou e para comparação entre as áreas foi utilizado o índice de similaridade de Jaccard. Na Ponta do Arrozal (d=5,44; e=0,765) foram encontradas as seguintes famílias: Tetraodontidae (n=3), Paralichthyidae (n=2), Triglidae (n=1), Engraulidae (n=1), Ariidae (n=1) e Cynoglossidae (n=1). Na Boca da Barra (d= 4,05; e=0,546) foram registradas as famílias: Sciaridae (n=5), Tetraodontidae (n=3), Ariidae (n=1) e Carangidae (n=1). A similaridade entre as áreas foi de J=0,15, com esforço amostral de 5 horas/pesquisador. A diversidade e a uniformidade das espécies de peixes em sistemas estuarinos são influenciadas pela sazonalidade, clima e salinidade. Durante as amostragens, a salinidade da água na Ponta do Arrozal (Superfície=25%; fundo=31%; profundidade=5,5m) foi menor do que na Boca da Barra (superfície=31%; fundo=33%; profundidade=8m), essa diferença pode ter influenciado para a distribuição das espécies na comparação da Ponta do Arrozal e na Boca da Barra. O termo “estuarinos oportunistas” serve para descrever a relação de epécies estuarinas que não são estritamente limitadas a um ambiente estuarino durante uma fase do seu ciclo de vida, ou seja, como a distância entre os pontos era pequena, algumas espécies podem possuir micro habitats diferentes não ocorrendo portanto, para o presente esforço, similaridade entre os dois pontos. No entanto são necessarios mais estudos da diversidade para futuros planos de conservação

Palavras-chave: ambientes marinhos, diversidade, ecologia.