Variação espaço-temporal da diversidade fitoplanctônica em um braço do reservatório da UHE Itaipu Binacional – 2004-2005

MACIEL, Jocylaine N.1,*; BENASSI, Roseli F.1; BENASSI, Simone F.2; SANTOS, André, C. A. dos 3.

1 Universidade Federal do ABC – UFABC, Centro Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas (CECS), Programa de Pós-graduação em Energia, Rua Santa Adélia, 166, Bairro Bangú, 09210-170, Santo André, São Paulo, Brasil

2 Itaipu Binacional, Divisão de Reservatórios – MARR.CD. Avenida Tancredo Neves, 6731, Caixa Postal 255, 85866-900, Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil.CEASB/PTI/ITAIPU

3 Universidade Federal de São Carlos – UFSCar, Campus Sorocaba. Rodovia João Leme dos Santos, Km 110, Bairro Itinga, 18052-780, Sorocaba, São Paulo, Brasil.

* jocylainemaciel@gmail.com

Apoio Financeiro: CEASB/PTI/ITAIPU

O uso de comunidades biológicas como indicadores das condições ambientais tem se fortalecido e modernizado ao longo dos anos. As diferentes formas de avaliação da diversidade biológica podem ser bem ilustradas a partir do calculo de índices de diversidade, que resume em valores únicos diferentes componentes biológicas do ecossistema analisado. Nesse estudo, utilizaram-se dois índices (Shannon e Simpson) para avaliação da diversidade de espécies de fitoplânctons em um braço do reservatório da Usina Hidrelétrica da Itaipu Binacional, durante os anos de 2004 e 2005, com uso de dados biológicos da comunidade fitoplanctônica coletados na região de superfície em duas estações de monitoramento localizadas no referido braço (E11 e E14). Os resultados obtidos para o Índice de Shannon demonstraram inicialmente que a estação E11 apresentou valores superiores à estação E14, em todo período, com exceção nas campanhas de fevereiro e junho 2004, e ao longo dos anos analisados, notou-se que em março de 2005 os valores do índice de diversidade aumentaram para E11, não sendo observado o mesmo para E14. O Índice de Simpson, que calcula a diversidade ponderando a concentração de dominância de espécies, mostrou que a estação E14 assumiu os maiores valores ao longo do período, com exceção apenas para fevereiro e maio de 2004. Além disso, notou-se certa ciclicidade ao decorrer dos anos, tendo as estações apresentado uma tendência de redução dos valores médios mensais. Com esses resultados, é possível concluir que os índices de diversidade podem ser considerados bons indicadores das condições ecológicas do habitat em estudo, haja vista o suporte a outros estudos ecológicos. Todavia, vale ressaltar que estes, por se tratarem de índices, podem subestimar ou superestimar alguns fenômenos ecológicos e, portanto, seu uso requer cuidados e outras avaliações complementares. Palavras-chave: Passo Cuê, Fitoplanctôns, Qualidade da Água, Índices de Diversidade