A citogenética como ferramenta para estudos de taxonomia e sistemática vegetal

LOMBELLO, Ricardo A.

Universidade Federal do ABC

Em virtude de seu caráter preservado em relação às variações ambientais enfrentadas pelos diversos organismos, o cariótipo, conjunto de informações relativas ao complexo de proteínas e ácidos nucléicos nucleares durante a divisão celular, pode ser considerado o caractere fenotípico mais estável dentre todos utilizados nos estudos taxonômicos e de sistemática. Dentre os dados cariotípicos utilizados nas análises citogenéticas deve-se ressaltar a importância do número cromossômico e da morfologia dos cromossomos em metáfase mitótica, sendo estes os parâmetros básicos dos estudos de citogenética clássica. Mais recentemente, a partir da introdução de técnicas de detecção de sequências específicas de DNA nos cromossomos, iniciou-se uma nova era nos estudos de citotaxonomia e cariossistemática. A citogenética molecular tem sido utilizada não apenas para se inferir os processos evolutivos envolvidos na derivação dos cariótipos de determinado grupo, mas também na identificação de possíveis espécies parentais, cuja identificação, além de auxiliar no entendimento da sistemática dos grupos, oferece informações fundamentais para os programas de melhoramento de espécies vegetais de interesse. Neste sentido, projetos de caracterização citogenética de espécies vegetais, nativas ou cultivadas, têm despertado interesse na comunidade científica, abordando tanto a análise sistemática dos grupos quanto a valoração dos recursos genéticos e da diversidade de nossa flora.