Filogenia e sistemática de Gesneriaceae, um estudo de caso: o gênero Mandirola Decne. (Gloxinieae)

ARAUJO, Andréa O.

UFABC, Centro de Ciências Naturais e Humanas, Rua Santa Adélia, 166, Bairro Bangu, Cep 09.210-170, Santo André – SP

andrea.onofre@ufabc.edu.br

Gesneriaceae é uma família de Angiospermae do clado das Eudicotiledôneas - Lamiídeas. As espécies de Gesneriaceae estão distribuídas pelos trópicos, com poucos representantes em áreas de clima temperado. A família inclui cerca de 140 gêneros e aproximadamente 3500 espécies caracterizadas por serem de porte geralmente herbáceo e perenes, com flores vistosas, gamopétalas, geralmente pentâmeras e com estames geralmente sinânteros. O fruto é bastante variável (cápsulas carnosas ou secas ou ainda bagas), sendo um ótimo caráter taxonômico para diferenciação de tribos e gêneros. Gesneriaceae está entre as 10 famílias botânicas em número de espécies epifíticas, totalizando 20% de suas espécies, mas inclui também espécies terrestres e rupícolas. No Brasil, a família está representada apenas por uma das suas três subfamílias: Gesnerioideae, a qual inclui seis tribos, dentre elas Gloxinieae. Essa tribo teve seus limites genéricos restabelecidos com base em análises filogenéticas recentes e passou a ser constituída por cerca de 19 gêneros e 160 espécies. Dentro dessa tribo, o gênero que mais sofreu alterações foi Gloxinia L’Her. s.l., sendo que suas espécies foram distribuídas em sete gêneros, dentre eles Mandirola Decne. Esse último gênero é endêmico do Brasil e pode ser reconhecido pelo porte herbáceo, pelas florescências frondosas, prefloração do cálice aberta e da corola imbricada com fauce glabra ou com tricomas não-glandulares e pelas cápsulas secas. Atualmente são reconhecidas três espécies em Mandirola: M. ichthyostoma (Gardner) Seem. ex Hanst., M. multiflora (Gardner) Decne. e M. rupestris (Gardner) Roalson & Boggan. Porém, os limites entre essas espécies ainda são confusos. Além desse, existem outros problemas relacionados a esse clado que ainda não estão esclarecidos: a) O reconhecimento de Goyazia Taub. como um gênero diferente de Mandirola ou a transferência das três espécies incluídas em Goyazia para Mandirola; b) Qual o posicionamento de Goyazia villosa (Gardner) R.A.Howard, uma espécie morfologicamente semelhante às espécies de Goyazia e de Mandirola, porém nunca incluída em análises filogenéticas; c) Qual o relacionamento de Mandirola com Chautemsia A.O.Araujo & V.C.Souza (um gênero brasileiro monotípico recentemente descrito dentro de Gloxinieae). Portanto, trabalhos ainda estão sendo realizados com o objetivo de esclarecer esses problemas relacionados ao clado Mandirola, utilizando análises filogenéticas baseadas principalmente em seqüências de ITS e dados morfológicos. Palavras-chave: Brasil, Gesnerioideae, taxonomia.